Atleta do mês Maio/2020: Christianne Pessoa Siqueira

Atleta: Christianne Pessoa Siqueira

Esporte: Atleta: Corrida de rua

Idade: 46

Entrevista:

Nesse mês de maio, nossa homenagem de atleta do mês, traz um pouco da trajetória da atleta Christianne, mais conhecida como Chris.

Ela que é atleta, esposa, MÃE e amante da prática esportiva. Nesse tempo diferenciado em que estamos vivendo, Chris nos conta um pouco como tem vivenciado os seus treinos e ainda deixa um recado entusiasmado para todos nós. Vamos conferir:

O início de tudo...

Sempre pratiquei atividades físicas, como vôlei na época de colégio, mas nunca fui uma atleta dedicada. Depois, passei um bom tempo sem praticar nenhum esporte até que resolvi voltar para academia junto com meu esposo e depois acrescentei a corrida. Achava a corrida algo fantástico, mas faltava coragem para começar. Em 2014, motivada pelos amigos Flávia e Souto, resolvi acreditar que era possível correr, criei coragem e fui correr. Lembro dos primeiros 500m esbaforida, mas aos poucos, persistindo passo a passo cheguei aos 5km em cerca de 3 meses. Passei 1 ano correndo por conta própria e em 2015 entrei na STI RUNNER, assessoria que me deu qualidade de vida com a corrida e me acompanhou até 2018. Em outubro de 2018, passei a fazer parte da CB SPORTS, assessoria que estou até hoje, com foco em novas metas e na busca de correr cada vez melhor.

Treinos durante a pandemia...

Acordo muito cedo, como já era minha rotina. Quando possível, tento cumprir minha planilha de corrida logo pela manhã (acho o melhor momento) ou corro somente no final do dia, até porque nesse meio tem trabalho, família, cachorros e casa. A ideia é se organizar que dá pra fazer tudo. Nesse período de isolamento social, corro dando voltas no meu condomínio pra não ter que ir pra rua ou fico somente na rua em frente ao prédio, que anda bem deserta. E tento, sempre que possível, realizar alguns treinos em casa como pular corda, polichinelo, subir escadas e outros exercícios, sempre orientados por um professor. Confesso que, nos dias atuais, nem sempre rola uma super motivação pra treinar em casa, mas tento lembrar da sensação maravilhosa do pós treino, então troco de roupa, boto o tênis e vamos simbora.

Alimentação...

No início, não dava muita bola para a questão da alimentação. Sempre fui magrela, comia muito (ainda como) e então estava tudo bem. Contudo, com a evolução dos treinos e a busca de novos objetivos, precisei procurar uma nutricionista – Amanda Nascimento - (entre 2015/2016) que vem me orientando e indicando os combustíveis necessários para me manter firme até hoje e para não ter uma “turica” no meio das provas. Nem sempre sou obediente na dieta, mas procuro seguir as orientações. Adoro comer cuscuz.

Vida pós prática esportiva...

Considero que a minha vida se resume antes e depois da corrida. Descobri tanta coisa incrível correndo. Descobertas em mim mesma, como força, determinação e a alegria de estar em movimento. Também encontrei novos amigos e muitas possibilidades de melhorar física e mentalmente. Ahhh, sem falar nas viagens, ou seja, viajar para correr, aliando corrida e turismo.

Títulos que considera importante em sua trajetória...

Todas as corridas são legais e quase sempre rendem boas histórias. Não corro profissionalmente e tenho alguns poucos troféus de pódios ou que ganhei na faixa etária. Gosto mesmo de correr, acho que não tenho muito espírito competitivo. Orgulho de quando completei meus primeiros 21k em Pipa, mais tarde ser Maratonista e de ter completado em 2019 o Desafio Cidade Maravilhosa (21k + 42k).

Mensagem da atleta:

“ AME A JORNADA, ou seja, aprecie todo o seu caminho até a linha de chegada, os treinos, os perrengues, as alegrias, as resenhas, os encontros, a preguiça (às vezes de acordar cedo), o cansaço, a vontade de conseguir ir além. A linha de chegada é só o fim da jornada, e, ao cruzar a linha, além da alegria libertadora, o que a gente lembra é de todo o caminho que viveu pra chegar até lá. E vale muito a pena saber apreciar. É um exercício diário” E nesse tempo de pandemia: “Isso também vai passar. Já já estaremos de volta como nossas aglomerações cheias de endorfina e alegria, não importa quantos kms ou que pace será. Por enquanto, se resguarde e proteja aqueles que o rodeiam. Tentem, como tantos têm falado, se reinventar. Busquem novas formas, lugares e horários para treinar, sempre respeitando as regras para a manutenção da saúde de todos. Lembrando que tem dias que bate preguiça, mas recordem a sensação logo após o treino, não deixe passar a vontade e se movimente. Nesse momento, a frase lá de cima AME A JORNADA também vale, porque quando voltarmos, certamente, vamos lembrar de todos esses momentos, e, acredito que tudo vai valer ainda mais a pena”.